document.write("Fazia muito tempo que o cearense não dava uma.
Chegou no brega e disse para a quenga:
- Katiroba, quanto é o pograma?
- 100 real.
- Vixe! Tá muito caro, tá doida... Que porra é essa? Tá metendo a faca!
- Então tá, 50 real.
- Aí Não! Eu só tenho 12 conto.
- É mixaria. Por essa merreca eu não dou, vai quebrar a cascavel na mão.
- Ô minha linda, então eu te dou 12 conto e o meu celular.
A Katiroba pensou, pensou (avaliou a crise financeira) e disse:
- Tá bem, bichim, aí eu topo.
Foram para o quarto e deram uma bem arrochada e caprichada.
(Rolou espia-quem-vem, carro-de-mão, reboco-de-barro, frango assado, caruru com vatapá ao forno, elevador, canguru perneta, assovia e vai, saudades do matão, etc.).
O cabra se levantou, botou as calças, deu os 12 conto para a moça e se preparou pra sair.
- E o celular? bradou a Katiroba.
- Anote aí, minha linda: 8121-1230!");